Radiohead – “In Rainbows”

up-radiohead.jpg

Foi um dos momentos musicais mais aguardados do ano, por milhões de pessoas. O lançamento do novo álbum dos Radiohead, depois de 4 anos sem novidades e depois da ameaça de término da banda (que todos nós tememos) foi, sem dúvida, um dos momentos mais esperados deste agradável ano musical de 2007.

Radiohead são uma banda de culto. Das melhores de todos os tempos. Pela ousadia, originalidade e, acima de tudo, pela sua muito boa música.

Se todos os registos anteriores contribuiram para um crescente número de fãs incondicionais do trabalho da banda liderada por Thom Yorke, “In Rainbows” apresenta-se como mais um grande passo deste conjunto singular. Porque, certamente, esse número continuará a crescer. Porque não desilude. Porque conquista os mais cépticos. E porque, seguramente, toda uma juventude que permanecia alheia a toda a brilhante obra dos Radiohead não ficará indiferente à maturidade, competência e genialidade de “In Rainbows”.

Os moldes em que o álbum foi lançado, através da disponibilização na internet de todos os temas, permitiu ao conjunto britânico inovar uma vez mais. Porque decidiram lançar “In Rainbows” a título próprio, sem editora, ao preço que o consumidor quiser pagar por ele. Incluindo aqueles que o optam por descarregar gratuitamente. E, só no primeiro dia disponível, contou com 1.200.000 exemplares descarregados. Em Dezembro sairá uma versão, nas lojas, em formato box, com duplo Cd, duplo Vinyl e um livro.

A parada estava alta. Mas o álbum não desilude. E confirma esse estatuto unânime de que gozam os Radiohead, pelo seu todo. Um conjunto de 10 temas ao nível do que a banda nos habituou. Ou seja, todos excelentes, geniais.

“15 Step” prossegue a experimentação electrónica que caracterizou alguns dos seus últimos trabalhos, envolvendo o ouvinte num jogo de percussões pouco convencionais, como que catapultando-nos para um universo distinto. O universo dos Radiohead. Quando entra a voz de Thom Yorke, encostamo-nos para mais uma viagem e pensamos nas saudades que tínhamos duma música dos Radiohead, adivinhando o potencial dos temas que se seguem. Mas em Radiohead, cada tema é um tema e cada pormenor exige a sua atenção devida, pelo que, é impossível ficar impune ao excelente desenvolvimento da música. A conjugação da guitarra, do baixo e da “estranha” percussão levam-na ao seu clímax, num dos melhores momentos do álbum. É um início brilhante. É a entrada no seu universo, dando o mote com as melhores boas-vindas possíveis.

“Bodysnatchers” é o momento mais rock de todo o álbum. Guitarrada distorcida, muita energia e muita adrenalina. Porque os Radiohead são uma banda rock. Com o devido fulgor. E à 2ª música pensamos: «Esta “merda” é mesmo boa!!» ou, mais modestamente «God Bless Radiohead!». “Nude” é um dos momentos mais calmos do álbum. Para muitos o mais bonito. É toda a melancolia da voz de Thom Yorke, todo o sentimento penoso de um dia cinzento. Toda a amargura e solidão, terminando num dos momentos mais doces de toda a obra dos Radiohead. “Weird Fishes/Arpeggi” relata uma fuga. O porquê de ficar e a dúvida. Como se estivéssemos ao volante de um carro, a considerável velocidade, em direcção contrária ao que realmente nos interessa. Questionando o porquê de custar tanto fugir. Escutando o desejo de voltar. Luzes distorcidas, noite escura e uma velocidade imparável.

“All I Need” é, para mim, o melhor momento do álbum. E, talvez, um dos melhores da carreira dos Radiohead.

A música mais bonita do ano, para mim. Um baixo de sintetizador a criar o ambiente, uma bateria sempre presente, um xilofone oscilante, a voz de Thom e a apoteose final, brilhantemente conduzida pelo piano. Épica.

“Faust Arp” é um pequeno momento acústico. Com violinos e coros. Excelente, pela simplicidade. “Reckoner” é outra grande música. Percussão à la Massive Attack, uma guitarra cativante e Thom Yorke no seu melhor. “House Of Cards” é uma música alegre. De esperança. Algo minimalista, mas não por isso menos interessante. Imagino crianças a brincar no recreio, num agradável dia de sol. Com muita alegria e alguma nostalgia.

“Jigsaw Falling Into Place” é movimento. Encaixa em qualquer álbum de Broken Social Scene, mas tem o selo Radiohead. É uma música em constante crescimento. De novo, velocidade. E uma certa angústia perseguidora. “Videotape”, o último tema do álbum, é melancólico. Termina em beleza. Um piano triste, pela perda de hábitos. Pela ameaça do futuro e do progresso tecnológico. A música é triste. E, para nós, duplamente, porque chegou ao fim. Terminou a viagem.

E temos pena, porque o universo Radiohead é tão bom. E, inevitavelmente, pomos do início. Porque já temos saudades.

E, desta vez, ainda ouvimos mais alto.

O Royal Cafe dá 5 estrelas. E vocês?

Myspace

Website

Anúncios

6 thoughts on “Radiohead – “In Rainbows”

  1. henrique rocha diz:

    Radiohead outra vez na crista da onda, outra vez iguais a eles próprios (quem não gostava não é desta que gosta). Um album acima de tudo competente, com tudo o que os Radiohead nos habituaram… música para meninos !!!

  2. Boa Gente diz:

    Só não estão na crista da onda porque nunca tiveram onda. Criaram uma corrente, de onde todos os dias saem novas ondas. E quem não gosta de mar ou de ondas, tem sempre a piscina, essa sim!, de gente grande…
    Já que não sei nadar, antes afogado no oceano do que na piscina…

  3. paulo santos diz:

    gostei da tua visao do album e concordo especialmente contigo no que toca ‘a all i need. para mim e’ uma das melhores faixas de sempre dos radiohead. tambem gostei do que disseste da jigsaw falling into place, principalmente pela referencia aos broken social scene.
    boa boa 🙂

  4. Zé Pedro diz:

    excelente critica. mais um grande album de uma banda que se destaca de todas as outras. sem duvida a all i need é das coisas + bonitas que ja alguma vez ouvi. e como se escuta em house of cards : i don’t want to be your friend, just want to be your lover…bem jogado thom!

  5. Pedro diz:

    Para quem gosta de radiohead…ou a arte de fazer de uma música banal um hino de fazer chorar as pedras da calçada:

    http://br.youtube.com/watch?v=kH…h?v=kHe- iwAI9BE

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: