Solidariedade numa Noite Escura de Agosto

Voltei.

Porque, e dado que agora o Royal Cafe nutre de franchising, tenho estado pela filial de Barcelona. Não está fácil este período de implementação dos ideais e filosofia do Royal Cafe pela bela Barna, pelo que, com saudades, me senti na obrigação de voltar a casa. Ao original – Royal Cafe 1º. E, com isto, rever ilustres visitantes e brindá-los com algumas das minhas férteis investigações em solo blaugrana.

Barcelona vale por si só. Sem adjectivos. Nada melhor descreve Barcelona do que o seu próprio nome, atentem: Barcelona. E, pronunciando-a, surge-nos una panóplia imaginária de cores, pessoas, ofertas culturais e sociais. Nas suas 4 sílabas, um intenso aroma a vida. Brilhante.

E, com este passo, dei início a um projecto de internacionalização do Royal Cafe. Uma espécie de franchising, expondo-se além fronteiras. Projecto, num futuro próximo, alterar-lhe o interface e universalizá-lo pelo idioma. Talvez uma versão bilingue. Veremos.

Carreto novidades. Umas melhores, outras piores. Começo pela pertinente:

Tive conhecimento de uma campanha solidária que, literalmente, me desarmou. O Instituto Português de Oncologia está a fazer uma recolha de filmes em DVD ou VHS para os doentes da unidade de transplante que estão em isolamento. Crianças e adultos que precisam de um transplante de medula e de estar ocupados durante o tempo de internamento. Como o “Stock” é insuficiente, o Instituto pede a ajuda da população. O IPO aceita todo o tipo de filmes, dando preferência à comédia (obviamente o género mais desejado em fases menos felizes da vida). Os filmes podem ser enviados para:

Instituto Português de Oncologia de Francisco Gentil

Unidade de Transplante de Medula

A/C Sr.ª Enf. Elsa Oliveira

Rua Professor Lima Basto 1070 Lisboa

Telefone: 217 229 800 ou 217 266 785

Como pretenso cineasta que sou (e devoto espectador, bem ciente das possibilidades do cinema e demais efeitos que este nos provoca), vou participar na campanha com alguns filmes que me acompanharam ao longo deste percurso vital, na esperança de que estes suscitem nos infortunados pacientes sensações semelhantes às minhas, aquando da sua visualização e, também, com os meus exercícios cinematográficos. Move-me esta campanha com maior motivação do que qualquer festival de cinema que tenha participado ou possa vir a participar. E o melhor prémio de todos será ganho quando um dos meus filmes provocar um sorriso num destes solitários espectadores. Porque é nessa magia do cinema que acredito e nessa “ilusão” que quero crescer como cineasta. Na sua função primeira – suscitar emoção ao espectador.

Aproveito a deixa para lançar uma acha para a fogueira. Se esta campanha reunir centenas de filmes pirateados, que medida legal operará? Removem-nos do stock? Multam o IPO? Ou o pobre paciente que, desesperadamente, os visualiza? Humanismo, sim. Extremismo, não. Are we human? Or are we dancer?

Sigo na onda da solidariedade e promovo a edição do LP “Dark Was The Night”, pelo selo 4AD, uma colectânea dos majors da cena indie actual, produzida pelos irmãos Aaron e Bryce “The National” Dessner.

A edição tem como propósito uma campanha de angariação de fundos para combate contra a SIDA/HIV e é uma iniciativa da Red Hot Organization e de John Carlin, mais especificamente. O LP chega às lojas no próximo dia 16 de Fevereiro, em formato CD Duplo, Vinyl Triplo ou Download Digital e conta com temas de Andrew Bird, Beirut, Cat Power, Dave Sitek, Feist, Kronos Quartet, The Arcade Fire, The National, Spoon e Sufjan Stevens, entre muitos outros artistas de destaque.

É uma colectânea de luxo, para quem gosta de música. Eu adorei e dia 16 espero ter o meu exemplar. E, ao comprá-lo, melhoro o Mundo e melhoro-me a mim.

Entretanto, no Myspace próprio, irão sendo disponibilizadas cada uma das faixas do LP, por dia, até dia 16. Check it out!

4AD

Myspace

Adorei o Big Fish. Não, não o vi agora. Vi-o na altura da estreia, em cinema, e adorei a experiência. Mantenho-o desde então como um dos filmes de eleição da minha relativamente vasta cinematografia. Dele registei várias coisas, nomes e um ideal de vida sem igual. Atrás dele, 3 nomes maioritários: Daniel Wallace (autor da história), John August (guionista) e Tim Burton (realizador). Rendido à lição moralística bem patente no filme, passei a identificar-me com estes três artistas desde então. E, recentemente, descobri a pérola do blog de John August. Para quem o conhece sabe que a sua obra não se limita a Big Fish e que outros trabalhos interessantes são igualmente da sua autoria. Contudo, um dos seus trabalhos que mais me agradou e tem vindo a agradar é a constante publicação de riquíssimos textos e exercícios narrativos com que regularmente nos brinda no seu blog.

Chamo particularmente a atenção para o post “Professional Writing and The Rise of The Amateur”. Leiam-no e entendam-no. Fiquei deliciado. É uma lição para guionistas. E, acima de tudo, uma lição de vida. Empreguem profissionalismo em tudo o que fazem! Dinstingam-se dos demais e sejam profissionais em tudo o que fazem. Porque o vosso profissionalismo só está ao vosso alcance. Este brilhante ensaio de August é a aula que sempre quis ter e nunca tive (pelo menos, a um nível físico – viva a web) e expõe como nunca os 5 pontos específicos para se ser profissional: Apresentação, Exactidão, Consistência, Responsabilidade e Ética.

És pintor? Lê este ensaio. Barman? Lê. Traficante de droga? Lê, serás melhor. Escritor, guionista ou realizador? Lê e fixa. Lê outra vez. És apenas um mero cidadão? Já o devias saber de cor…

Vai sair também o álbum novo de Beirut, igualmente no dia 16 de Fevereiro. Álbum que consiste num duplo Ep, sob dois nomes artísticos diferentes: “March of The Zapotec”, de Beirut e “Holland”, de Realpeople (primeiro projecto musical de Zach Condon, que saudavelmente volta à carga em 2009). O antiguinho post que o Royal Cafe fez em conceito biográfico de Zach Condon é até hoje o post mais visitado do blog, dado que me alegra pelo crescente interesse na sua música (notou-se um boom de pesquisa de nativos de língua portuguesa quando o tema “Elephant Gun” surgiu na mini-série brasileira “Capitu”) e me motiva a partilhar novidades sobre este artista que tanto admiro e cuja música tanto me agrada.

Destaco o tema “My Night With a Prostitute From Marseille”, sob a alçada do projecto Realpeople, que por si só motiva para a compra do novo álbum.

Deliciem-se.

Antes de me despedir, recomendo a visualização do filme “The Wrestler” (excelentes desempenhos de Mickey Rourke e de Marisa Tomei), de Darren Aronofsky, “La Graine et le Mulet”, de Abdel Kechiche e “Los Cronocrimenes”, de Nacho Vigalondo (sim, o autor de “7.35 de La Mañana”, que também já mereceu um artigo neste blog).

Chamada de atenção musical para New Century Classics, promissor conjunto indie polaco (com membros de diversas nacionalidades), ao bom jeito de God is An Astronaut ou Mogwai, Abrevadero, conjunto indie catalão ao estilo dos extintos Arrah & The Ferns e para os portugueses Destil’Art, que me recordam o melhor dos saudosos Ornatos Violeta (prometo que em breve publicarei um artigo mais detalhado sobre este projecto, com a atenção que merece).

E, para me despedir, deixo-vos com esta pérola catalã – “Cowboy de Mediodía”, de Alberto Blanco.

Parabéns Alberto Blanco!

Obrigado visitantes. Sai uma rodada, em nome do proprietário.

Volto em breve, com novidades.

Anúncios

One thought on “Solidariedade numa Noite Escura de Agosto

  1. Adorei provar deste café… Passarei mais vezes por aqui. Parabéns!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: