Topsy-Turvy Techno

Bem vindos de volta!

Para aqueles que me conhecem, sabem bem o quão presente esteve a música electrónica na minha vida. Tive vários anos dentro da cena Techno e fui uma espécie de “catedrático” do género. Contudo, há já alguns anos que me afastei. Não pus de parte a música electrónica, obviamente, mas deixei um pouco de lado todo o conhecimento que adquiri da cena Techno.

Contudo, a vida é deveras curiosa. E ontem comecei a escrever um argumento de longa-metragem directamente relacionado com a música. Música Indie, principalmente.

Enquanto construía o início da história em causa, pesquisei imensa música. Precisava de indagar sobre o final da década de 80 na música britânica, com o intuito de melhor desenvolver o início da história do meu personagem principal. Como sabem, o Youtube é uma ferramenta preciosa neste tipo de coisas e, através dele, conheci um vídeo em jeito de ‘best of’, que reunia os 10 melhores temas musicais de 1987. Encontrei, como pretendia, relações aos The Smiths e, surpreendemente, descobri também o hino Techno “Strings of Life”, de Derrick May, nessa mesma compilação.

Sempre fui um enorme fã desse tema – os seus simples 6 minutos reunem perfeitamente tudo aquilo que o Techno significa. Sempre costumei dizer a toda a gente: “Não entendes o Techno. Não é um estilo de música. É um modo de vida.” (parafraseando uma famosa expressão de Dave Clarke, produtor e dj britânico, de Techno). Bem, para mim, “Strings of Life” simboliza exactamente isso. Esse modo de vida. Esse espírito Techno. E, num flash, recordei vários anos de influências Techno.

Hoje já escutei este fabuloso tema repetidas vezes. Aqui o partilho.

Isto é Techno, caros amigos. De ’87. Escola de Detroit.

E, com isto, passei todo o dia a pensar em como estes senhores de Detroit mereciam um biopic. Um drama clássico sobre as suas histórias, a criação de um género musical e tudo o que obtiveram com esse feito. Para aumentar o dramatismo da coisa, imaginemos que um filho de um deles, lentamente absorvido pelo género musical que o pai gloriosamente criou, se deixa arrastar no manto de drogas altamente relacionado com o género. O advento prevaleceria com o peso honorífico que tem? Seria interessante desenvolver algo do género…

Bem, por pensar nisso, pus-me a pesquisar filmes relacionados com essa lenda de Detroit. E descobri dois bem interessantes. Aqui vão:

Modulations: Cinema For The Ear

Lançado em 1998, este filme de Iara Lee, produzido pela Caipirinha Films, é um documentário de 75 minutos sobre o advento da música electrónica e demais subgéneros. Debruçando-se nas origens, o filme acompanha toda a evolução da música electrónica, desde o Jungle ao Techno ou ao Ambient, com depoimentos dos seus fundadores.

Recomendo o seu visionamento, dado que contém curiosidades singulares, tais como imagens dos primeiros instrumentos electrónicos e reúne os primários conceitos da música electrónica. Podemos ver algum do trabalho artístico de Stockhausen (ironicamente aparece perto do final do filme – o que é curioso dado o seu papel de extremo relevo no advento da música electrónica), a filosofia de John Cage e os primeiros sinais de Miles Davis que, para mim, estão intimamente relacionados com o advento do Techno de Detroit.

Para todos nós, amantes de música, é de visionamento obrigatório. Começamos a olhar para a música electrónica sob outras perspectivas (não se sintam desencorajados pelos 5 minutos iniciais de anúncios da editora, o filme começa após os mesmos).

High Tech Soul: The Creation of Techno Music

“High Tech Soul: The Creation of Techno Music”, realizado por Gary Bredow e lançado em 2006 pela Plexi Films em parceria com Glu Studios Productions, é um documentário de 60 minutos sobre as origens do Techno. O filme centra-se na jornada de Juan Atkins, Kevin Saunderson e Derrick May e em todo o processo que os levou a reclamar o advento da música Techno.

Comparando com o outro, prefiro este documentário. É mais específicamente relacionado com o Techno e a sua estruturação é melhor que a de “Modulations”. Para além disso, “High Tech Soul” faz uma análise mais profunda sobre as causas que antecederam o processo e tudo o que dele proveio. Totalmente centrado em Detroit, “High Tech Soul” é um filme obrigatório, mesmo no caso de não se gostar de Techno. Creio que a sua história tem dimensão suficiente para agradar a qualquer pessoa.

Recomendo-o vivamente. E estou seriamente a pensar escrever, no futuro, um argumento relacionado com as peripécias dos três mosqueteiros de Belleville, Detroit. Por enquanto, vou continuar plenamente concentrado no que estou a desenvolver.

Ah, e o tema “Strings of Life” aparece em ambos. Daí se percebe a influência que este teve no género e o quanto simboliza por si só a experiência de, não só Techno Music, como de Electronic Music no geral.

Espero que gostem.

Anúncios

One thought on “Topsy-Turvy Techno

  1. Aproveito pr sugerir um outro título de um documentário sobre este mesmo ambito:

    “THE CYCLES OF THE MENTAL MACHINE ”
    de Jacqueline Caux
    http://lahuit.lexio.fr/article/fra/cycles-of-the-mental-machine

    O documentário tem um princípio geral sobre a cidade de Detroit, abordando o seu passado musical e socio-económico pr explicar o surgimento do Techno. Contudo, visualmente mt recomendável, e um optimo vidoedocumentário musical pr a compreensão deste género.

    Para mais curiosidades sobre docs musicais, não hesitar em dar cá um salto:
    http://www.festivalvimus.wordpress.com

    H.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: