Royal Cafe Convida: Code Pie

Os convidados desta noite vêm de Montreal aqui ao Royal Cafe para promover o seu mais recente trabalho, “Love Meets Rage”, o terceiro longa-duração deste peculiar projecto de contornos Indie Rock/Pop que já vai a caminho do 10º aniversário.

Ilustres espectadores, convosco esta noite: CODE PIE

“Muddy Shoes” é o single de avanço de “Love Meets Rage”, álbum que tem sido bastante elogiado pela crítica e muito falado e escutado um pouco por toda a blogosfera. Aproveitámos a visita para conversar com eles.

E quão bem sabe voltar a ter convidados no Royal Cafe!

Royal Cafe: Descrevam-nos os Code Pie numa frase.

Code Pie: Um grupo de pessoas que anda a tocar junto há cerca de 9 anos.

R.C.: Que se passa em Montréal? Que boom foi este que nos últimos 5/6 anos tantas bandas talentosas e interessantes surgiram de Montreal para o Mundo?

C.P.: Deve ser qualquer coisa com a água. A água da torneira de Montreal é também o segredo para os bagels.

R.C.: Vocês já têm cerca de 9 anos juntos. Quão diferentes se sentem agora, comparando com os primeiros tempos? Onde se sentiram mais influenciados nos últimos anos?

C.P.: Nos primeiros anos ainda estávamos em formação e a maioria das canções do primeiro álbum foram escritas apenas pelo Enzo, ou pelo Enzo e o Sal, os dois primeiros membros da banda a juntarem-se. Tudo o que lançámos depois disso já foi escrito de uma forma muito mais colaborativa e o nosso processo de composição continua a evoluir ao longo dos anos. Para o último álbum, escolhemos uma espécie de jam sessions que tínhamos gravado e criámos as músicas tendo como base alguns dos pequenos elementos que gostávamos dessas gravações. Resultou num álbum muito ecléctico que mostra vários estilos e várias versões dos Code Pie. Aliás, isso tem sido muito comentado nas críticas e revisões ao álbum…

R.C.: E que género de música ou bandas vos influenciam mais?

C.P.: Todos nós vimos de diferentes registos musicais, desde a música clássica ao heavy metal, e todos nós crescemos em épocas distintas – a diferença de idade entre o mais velho e o mais novo da banda é de mais de 10 anos! – e como temos tantas influências, não conseguimos nomear ou apontar exactamente algumas delas. Até é engraçado quando em algumas críticas ou revisões somos comparados a bandas que nenhum de nós ouviu falar!

R.C.: Arcade Fire são um óbvio ícone de Montreal. Algumas vez colaboraram ou partilharam palco com eles?

C.P.: Nós ♥ os Arcade Fire.

R.C.: Conseguem nomear o melhor Gig que tiveram até agora?

C.P.: Este talvez não seja o nosso maior Gig, mas é um curioso: Em 2008, abrimos para a banda canadiana Holy Fuck. Quando saímos do palco e observávamos o concerto deles, nos bastidores, uma jornalista local perguntou se nos podia entrevistar. Fomos para uma sala tranquila e ela perguntou, “Então, que tal é tocar nos Holy Fuck?”…

R.C.: E em que festival mais gostariam de actuar?

C.P.: Woodstock, ainda por aí anda?

R.C.: Se tivessem a possibilidade de colaborar com um artista, qual escolheriam?

C.P.: Jan Teri.

R.C.: Alguma vez visitaram Portugal? O que vos atrai mais no nosso país?

C.P.: 3 membros da banda são, na verdade, italianos e fomos a Itália algumas vezes. Alguns de nós também já foram a Espanha mas nenhum de nós alguma vez foi a Portugal… Mas adoraríamos ir! Ouvimos dizer que é lindo. Todos nós adoramos comida portuguesa.

R.C.: Se pudessem fazer uma banda-sonora para um filme, que realizador ou estilo de filme escolheriam?

C.P.: Definitivamente Tommy Wiseau. Ou Amir Shervan.

R.C.: Para terminar, uma reflexão política. Porque consideram que existem tantas bandas a aparecer em Montreal? Existe alguma plataforma local de apoio à promoção e divulgação de novas bandas? Existem alguns esforços políticos visíveis na promoção e encorajamento de música nova em Montreal?

C.P.: O custo de vida em Montreal ainda é bastante razoável, quando comparado com outras grandes cidades, o que permite dedicar mais tempo livre à criação de arte ou música, em vez de ter o tempo todo ocupado a corresponder às finalidades de sustento. Existem imensos óptimos espaços, promotores e festivais, o que é saudável para a cena e comunidade musical. Existem também várias bolsas para artes que ajudam, entre outras coisas, na gravação, promoção e nas tournées… Infelizmente, o actual Primeiro-Ministro Stephen Harper tem feito cortes significativos nesses programas.

Com “North Side City View”, outros dos temas de “Love Meets Rage”, os Code Pie despedem-se de nós.

Website

Myspace

Foi uma honra.

O Royal Cafe agradece.

Anúncios

One thought on “Royal Cafe Convida: Code Pie

  1. Jean diz:

    Just do me a favor and keep writing such trnhancet analyses, OK?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: