Category Archives: Crónica do Proprietário

A TIPOLOGIA DO GUIÃO

O guião, por vezes, é um biltre. Um tipo de sacana bicéfalo que por um lado assume as suas condignas formas de motriz industrial mas que por outro se revela num pavoroso e extenuante bicho-papão com essa missão única de desmontar produtores logo pela manhã. É, em qualquer instância, um caso bicudo; ou, pelo menos, uma singular bipolaridade na sua relação causa-efeito.

Como se tal não bastasse, o guião também sofre doutro mal: procrastina por defeito. Chega com essa anomalia de fabrico – activo e passivo e activo em iguais e repetidas medidas -, o que faz dele infinito. Ad eternum. Diametralmente oposto a qualquer ideia de perfeição. É atabalhoadamente complexo o processo de o sacar da mente para o papel e ainda mais custoso se revela no momento de o arrancar à gaveta. Muitas vezes lá fica, finado, rematado, inconsequente. Talvez por isso seja também ele preguiçoso.

O guião, ainda assim, é a génese. O sítio onde só as palavras chegam e no qual reina a imaginação. Tem forma, mas não tem cor. É opaco, preciso e mais ou menos detalhado, fluindo nos seus ideais que acarretam sonhos de milhões. É, acima de tudo, ilusão; crónico sinónimo de frustração. Uma inconstante odisseia de caracteres que tentam ser characters para agradar ao carácter de terceiros.

Mas por vezes não. Por vezes o guião é maravilhoso, tornando-se na coisa mais especial do universo. Nessas vezes é pura sintonia, simbiose do espírito, e acarreta propósitos. Ainda que não faça nada por ti, poderá fazer tudo para alguém. Só precisa de ser, conter em si próprio a magia da página em branco. E mesmo que quem lhe possa dar outras vidas não partilhe desse entusiasmo, mesmo que seja rotulado e destinado ao pó à nascença, mesmo que o mundo não lhe pegue, tudo o resto está ao teu alcance.

O guião é o que tu quiseres.

Deixá-lo fluir é permitires-te a voar.

_

publicado originalmente em http://arte-factos.net/2016/03/10/guionice-1-a-tipologia-do-guiao/

%d bloggers like this: